Seguidores

Impostos sendo arrecadados no Brasil

o céu ganhou mais um anjo

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Líder da Câmara quer pedido de desculpa de Bolsonaro

Brasília - Depois do deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) cometer a grosseria de sugerir que Dilma teria "amor homossexual", o líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP), afirmou que o deputado deveria "pedir desculpas ao País por mais esse vexame". O petista, porém, disse que não cabe pedido de abertura de processo no Conselho de Ética. "Quando fala da tribuna da Casa, o deputado tem direito a imunidade parlamentar para manifestar suas opiniões", completou Vaccarezza.
Não é a primeira vez que Bolsonaro entra em polêmica ao se manifestar contra o combate à homofobia nas escolas. Em março deste ano, ele sofreu um processo no Conselho de Ética depois de uma declaração considerada preconceituosa à cantora Preta Gil. No entanto, o processo acabou arquivado.
Bolsonaro também já se envolveu numa discussão com a ministra Maria do Rosário (Secretaria de Direitos Humanos), quando ela exercia o mandato de deputada federal. Na oportunidade, ele chamou a colega de "vagabunda" durante uma entrevista a uma emissora de televisão enquanto se discutia a redução da maioridade penal de 18 para 16 anos.
A polêmica
Famoso por seu envolvimento em polêmicas, o deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) criticou na tarde desta quinta-feira as políticas pró-homossexuais do governo e questionou a sexualidade da presidenta da República, Dilma Rousseff.
“Dilma Rousseff, pare de mentir! Se gosta de homossexual, assuma! Se o seu negócio é amor com homossexual, assuma, mas não deixe que essa covardia entre nas escolas do primeiro grau!”, declarou na tribuna ao se referir ao kit anti-homofobia, cartilha feita pelo  Ministério da Educação com intuito de combater o preconceito contra homossexuais nas escolas. A distribuição do kit foi suspensa por determinação da presidente.
O discurso foi repreendido pelo colega Alfredo Sirkis (PV-RJ), que disse ter presenciado palavras de ódio e preconceito. "Se entendi direito, faltou com o decoro parlamentar ao fazer insinuações a respeito da própria presidente da República, quando acho que a opção sexual de qualquer ser humano, deputado, é uma questão de foro íntimo”, explicou.
Segundo a assessoria de imprensa da Presidência da República, Dilma não se pronunciará sobre as declarações do deputado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu cometário foi muito importante e será guardado. Obrigado.

Diga Não

Diga Não

Arquivo do blog

Ocorreu um erro neste gadget

Vivemos nesse país.

Vivemos nesse  país.
Esperamos melhoras

Postagens populares

Minha lista de blogs

Total de visualizações de página

Hino dos politicos deste nosso país dos canalhas

Convenção dos honestos contra nossos politicos ladrões.